SOCIAL
CUIDAR
LAZER
FORMAR

A Associação Os Melros teve em sua génese um cariz cultural, recreativo e desportivo, assumindo um papel preponderante na supressão das lacunas que então se faziam sentir no seu âmbito geográfico.

Constituiu-se em 23 de março de 1994, Os Melros – Associação Cultural, Recreativa e Desportiva de Germil e elaboraram-se os seus primeiros estatutos, determinando o início da sua atividade no âmbito cultural, recreativo e desportivo.

Todavia, as necessidades emergentes do crescente envelhecimento da população local fariam alargar os horizontes da Associação ao âmbito social.

No ano de 1998, procedeu-se à alteração dos seus estatutos, constituindo-se como Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), cuja denominação passou a ser Os Melros – Associação Cultural, Social, Recreativa e Desportiva de Germil.

Desta forma, a Instituição passou a ter por “objetivos principais o exercício de atividade de ação social e a promoção cultural, desportiva e recreativa dos seus associados” (Estatutos de Os Melros – Associação Cultural, Social, Recreativa e Desportiva de Germil, Capítulo I, Artigo 2.º, 1998).

Atendendo à conjuntura demográfica da freguesia e freguesias limítrofes, em 2001 foi implementada a resposta social de Serviço de Apoio Domiciliário, mediante a celebração do Acordo de Cooperação com o Instituto da Segurança Social, IP / Centro Distrital de Segurança Social de Viseu, cuja capacidade do equipamento / serviço acordada foi de 30 utentes.

Em outubro de 2005, foi celebrado o Acordo de Cooperação com o mesmo Centro Distrital de Segurança Social para a criação da resposta social de Centro de Dia, cuja capacidade do equipamento / serviço acordada foi de 15 utentes.

No âmbito do Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais (PARES), foi submetida uma candidatura em 2006, visando a construção de uma Estrutura Residencial para Idosos, com início em 2008.

A obra foi concluída em 2009, cuja inauguração teve lugar em 31 de agosto, sendo celebrado o Acordo de Cooperação para a resposta social Estrutura Residencial para Pessoas Idosas em setembro do mesmo ano cuja capacidade do equipamento / serviço acordada foi de 30 utentes.

Atendendo às exigências da qualidade nas respostas sociais desenvolvidas e às necessidades de uma população cada vez mais envelhecida, a Instituição submeteu, em 2011, uma candidatura, no âmbito Programa de Desenvolvimento Rural do Continente (PRODER) subprograma n.º 3 “Dinamização das Zonas Rurais”, medida n.º 3.2 “Melhoria da qualidade de vida”, ação n.º 3.2.2 “Serviços básicos para a população rural”, para a construção de um Ginásio de Reabilitação Física Especializada.

Ultrapassados os procedimentos burocráticos, a construção da nova resposta social (Ginásio de Reabilitação Física Especializada) teve início em fevereiro de 2013, ficando disponível para utilização, após a aquisição do equipamento devido, no final do mesmo ano.

Em 2014/2015 a instituição dinamizou o Programa de Contratos Locais de Desenvolvimento Social + (CLDS+), que consistiu num instrumento de política social focalizado para os problemas sociais.

No decorrer do ano de 2016, a Associação propôs-se à construção de uma nova ERPI para fazer face à crescente procura dos serviços inerentes à referida resposta social, que alberga igualmente um piso destinado a Lar Residencial para jovens e adultos portadores de deficiência. A conclusão da obra efetivou-se no final de primeiro semestre de 2018, tendo-se procedido à abertura da ERPI em julho do mesmo ano.

Em julho de 2019 foi celebrado o Acordo de Cooperação para a resposta social Estrutura Residencial para Pessoas Idosas e Lar Residencial, cuja capacidade do equipamento / serviço acordada foi de 17 e 15 utentes, respectivamente.

Na sequência de uma atividade desenvolvida pelo programa CLDS+, o Integrar+, destinado a jovens com deficiência e incapacidade, foi endereçado pela Associação, em 2015, um pedido de criação de Centro de Atividades Ocupacionais (CAO) ao Instituto de Segurança Social – Centro Distrital de Viseu, como objetivo primordial que jovens/adultos com deficiência e incapacidade possam beneficiar de uma resposta social adequada às suas necessidades. O CAO entrou em funcionamento em novembro de 2020, tendo ainda, no decorrer do mesmo ano, sido celebrado Acordo de Cooperação com o Instituto da Segurança Social, IP / Centro Distrital de Segurança Social de Viseu, cuja capacidade do equipamento / serviço acordada foi de 20 utentes.

Esta resposta, designada a partir de março de 2021 de Centro de Atividades e Capacitação para a Inclusão (CACI), veio, no fundo, complementar a resposta de Lar Residencial, constituindo-se como um espaço de base comunitária, com uma regulamentação centrada em novos desafios, como a promoção da autonomia, da vida independente, da qualidade de vida, da valorização pessoal, profissional e da inclusão social.

sobre nos